11.6.10

ACABAR COM A CRISE DO POVO
CRIAR RIQUEZA
ESTIMULAR A ECONOMIA
(divagação imperativa)


Ficam aqui algumas ideias positivas, para equilibrar as contas do país:

1- Os pais de alunos não gastam nem mais um cêntimo em escolas privadas,
2- O preço dos alimentos baixa 50%,
3- Os cidadãos só trabalharão em part-time, os salários aumentam 100%
4- Os deputados e ministros, passam a ganhar 50% dos actuais salários,
5- O Estado é obrigado a jogar 5000 euros semanais, no euromilhões, com uma chave que será sorteada anualmente, na Assembleia da República (uma semana depois de aprovação do Orçamento de Estado),
6- Os trabalhadores independentes passam a receber subsídio de férias e de Natal,
7- O IVA baixa de 21% para 2%,
8- Nas portagens, os utentes passam a receber oito cêntimos ao quilometro, pelo esforço dedicado ao trabalho, em nome da economia do país,
9- Acabam-se as reformas por tudo e por nada, para os mal habituados da política e outros oportunistas,
10- Para cada desempregado a mais, menos um euro por dia, para cada um dos sentados faladores da Assembleia da República.

Claro que faltam aqui muitas outras medidas de austeridade mas...
Grão a grão, enche a galinha o papo

Pierrot le fou

3 comentários:

Marília Gonçalves disse...

Súplica



A noite veio descendo, escureceu

tudo é quietude, sono à nossa volta

a ave a cantar emudeceu

na rua só vento brame à solta.



No velho berço de madeira tosca

sob xaile de lã, desguarnecido

a criança a sonhar toda se enrosca

pra não ouvir do vento o alarido.



Tremeluzente luz da lamparina

projecta em torno fantasmas irreais

solitária choupana da colina

resiste ainda uma noite aos
temporais!


Marília Gonçalves

Marília Gonçalves disse...

Lista dos participantes portugueses nas reuniões de Bilderberg e "coincidências".
Lista dos portugueses de Bilderberg:


Francisco Pinto Balsemão, participante permanente desde 1988, é ele que escolhe os portugueses que todos os anos participam.

1988: Vitor Constancio e Francisco Lucas Pires

1991: Carlos Monjardino e Carlos Pimenta

1992: António Barreto e Roberto Carneiro

1993: Nuno Brederode Santos e Fernando Faria de Oliveira

1994: José Manuel DurãoBarrosso e Miguel Veiga

1995: Luis Amaral, Maria Carrilho e José Cutilero

1996: Margarida Marante e António Vitorino

1997: António Borges e José Galvao Teles

1998: Vasco Coutinho, Miguel Horta e Costa e Marcelo Rebelo de Sousa

1999: Joaquim Fraitas do Amaral, João Cravinho, Eduardo Grilo, Vasco Mello, Francisco Murteira Nabo, Ricardo Espirito Santo Salgado, Jorge Sampaio, Nicolau Santos, Artur Santos Silva

2000: Teresa Patrício Gouveia

2001: Guilherme de Oliveira Martins e Vasco Graça Moura

2002: António Borges e Elisa Ferreira

2003: Eduardo Ferro Rodrigues, Jorge Sampaio e José Durão Barroso

2004: José Sócrates, Pedro Santana Lopes e António Vitorino

2005: José Durão Barroso, António Guterres e Nuno Morais Sarmento

2006: Augusto Santos Silva e José Pedro aguiar-Branco

2007: Leonor Beleza

2008: Rui Rio e António Costa

2009: Manuela Ferreira Leite e Manuel Pinho

2010: Paulo Rangel e Teixeira dos Santos

Marília Gonçalves disse...

URGENTE !!!

E eu pergunto aos economistas políticos, aos moralistas,
se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso
condenar à miséria, ao trabalho desproporcionado, à
desmoralização, à infância, a ignorância crapulosa, à
desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um
rico?
ALMEIDA GARRETT