11.6.10

ACABAR COM A CRISE DO POVO
CRIAR RIQUEZA
ESTIMULAR A ECONOMIA
(divagação imperativa)


Ficam aqui algumas ideias positivas, para equilibrar as contas do país:

1- Os pais de alunos não gastam nem mais um cêntimo em escolas privadas,
2- O preço dos alimentos baixa 50%,
3- Os cidadãos só trabalharão em part-time, os salários aumentam 100%
4- Os deputados e ministros, passam a ganhar 50% dos actuais salários,
5- O Estado é obrigado a jogar 5000 euros semanais, no euromilhões, com uma chave que será sorteada anualmente, na Assembleia da República (uma semana depois de aprovação do Orçamento de Estado),
6- Os trabalhadores independentes passam a receber subsídio de férias e de Natal,
7- O IVA baixa de 21% para 2%,
8- Nas portagens, os utentes passam a receber oito cêntimos ao quilometro, pelo esforço dedicado ao trabalho, em nome da economia do país,
9- Acabam-se as reformas por tudo e por nada, para os mal habituados da política e outros oportunistas,
10- Para cada desempregado a mais, menos um euro por dia, para cada um dos sentados faladores da Assembleia da República.

Claro que faltam aqui muitas outras medidas de austeridade mas...
Grão a grão, enche a galinha o papo

Pierrot le fou

10.6.10

10 DE JUNHO 2010
VIVA PORTUGAL
VIVA A REPÚBLICA PORTUGUESA


Enfraquecida por sucessivos ataques da falsa união europeia com o seu odor de federação monetária mal intencionada e por outras organizações do dinheiro pelo mundo, a República Portuguesa possui na sua inconsciência, os sagrados valores da existência, que representam os seus humildes cidadãos, trabalhadores e aprendizes da evolução, dignos representantes dos valores sagrados da resistência humana estagnada pelos representantes dos cargos poderosos ascendentes, que rumam à decadência...

Parabéns aos "políticos" do dinheiro, que decidiram trocar Luís Vaz de Camões (o esquecido!), pela bíblia da injustiça social que representa o grande comércio europeu (pelo mundo),

Pierrot le fou

9.6.10

O CANDIDATO A PRESIDENTE
E O CAMPONÊS SÁBIO


Com sede de fama e poder, o homem torna-se candidato a presidente da câmara da cidade de Santa Paciência e, para ganhar a confiança e os votos dos habitantes do concelho, decide fazer-se à estrada para visitar os seus futuros apoiantes.
No primeiro dia da tournée promocional, o ansioso candidato vê um camponês e decide parar o seu jipe, para lhe dirigir alguns elogios.

- Bom dia.
- Bom dia. Responde o camponês.
- Que belo sítio este. Como chamam os senhores, este espaço tão calmo, tão harmonioso?
- O cantinho dos bons.
- Que lindo nome.
- Foi o Ti Zerúnfio.
- Quem?
- O Ti Zerúnfio. É um homem muito inteligente, sabe um pouco de tudo.
- Deve ter estudado muito...
- Nunca foi à escola.
- Como pode ele saber um pouco de tudo, se não estudou?
- Trabalha, lê, desenvolve ideias que lhe vêm à cabeça.
- Que tipo de ideias?
- Todas as que nos ajudem a viver melhor. Temos electricidade, água, cultivamos fruta e legumes. Não nos falta nada.
- E tecnologia?
- Tec... tec quê?
- Televisão...
- Ah a caixinha do povo? Não, não temos nada disso.
- Sem telev... caixinha do povo, não veêm informação em directo, não podem seguir as telenovelas, ver filmes,... nem futebol...
- E quem disse que queremos essas coisas por cá?
- Deduzi...
- Dedu quê?
- Pensei que estivessem interessados...
- Em telenovelas?
- A televisão não passa exclusivamente telenovelas...
- Claro que não, também promove aldrabões, egoístas, políticos e outros ladrões... Nem queira saber o tratamento que damos a esse tipo de pessoas, quando aparecem por cá. Já aconteceu e não foi bonito de se ver! Aqui, não aceitamos pessoas de má fé! No cantinho dos bons, só mesmo bons!
Já agora, o que faz o senhor na vida?
- Sou vendedor de televisores...

Com a forma mais elegante possível, o candidato a presidente, assustado, afasta-se, usando uma expressão corporal desconhecida, que misturava dança medieval, Tai Chi, Butô e exageradas vénias, que dirigia ao camponês, como numa sátira barroca, destinada ao seu praticante, que se torna vítima da estranha e atrevida modalidade.

Pierrot le fou

8.6.10

UNIÃO EUROPEIA
O JOGO VISÍVEL
(quantos mais pobres e desempregados, mais importantes e poderosos são os "senhores")




Cada dia que passa, a Comissão Europeia torna mais óbvia, a sua fixação monetária e pretensão federalista que pretende alcançar a perfeita instabilidade dos povos da Europa, através de tensões sociais, que promovem a desigualdade das classes.
A nova doença da economia atingiu os bancos, logo, há que penalizar as pessoas que trabalham, para preencher os cofres que reciclam a dependência ao crédito, preservando a integridade do "grande dinheiro".
De Maastricht a Frankfurt, podemos apreciar as lindas políticas ornamentadas, tecnocratas interesseiros, banhados a ouro, ouvir o eco nos bancos nacionais esvaziados, fotografar as soberanias enfraquecidas, que choram lágrimas de cobre que irão revestir as moedas de cêntimos...

Espreite e conclua por si:

Reformas estruturais da Segurança Social e do código laboral, AQUI
Aprovação prévia dos orçamentos nacionais, AQUI

7.6.10

BYE BYE VÍTOR CONSTÂNCIO! NÃO VOLTES!
(e deixa o dinheiro que deves aos portugueses)


Um dos melhores promotores de crises trocou de poleiro!
Farto do seu emprego, de comentador da crise em Portugal, este homem vai agora, comentar a crise de Portugal, lá fora.
Parabéns ao seu salário, reformas e outras injustiças, que o beneficiam monetariamente, graças ao sacrifício dos cidadãos que trabalham e produzem a riqueza de Portugal.

Pierrot le fou

3.6.10