18.12.10

DINHEIRO!
(a minha prosa)


Os oceanos tinham pimenta em vez de sal, os aviões rastejavam, os jornais falavam, os políticos criavam leis justas, os livros tinham odores estranhos, os escritores vendiam carros, a policia ia competir nos jogos olímpicos, os professores saltavam à corda, os cozinheiros criavam receitas iluministas, os pássaros caçavam ursos polares, os pobres emprestavam dinheiro aos bancos, a sabedoria bebia whisky, as vacas criticavam o neoliberalismo, os traidores choravam, os conselheiros de Estado fuzilavam os velhinhos, a máfia comia pão integral, os idiotas eram julgados, a tecnologia estava de férias, os traficantes de droga faziam o pino, os futebolistas ofereciam conhecimento, as dores estavam sãs, o chão odiava o tecto, a arte era interesseira, as prisões escorregavam nas leis, os bancários apalpavam o céu, o calor promovia o frio, Adão tinha dores de dentes, Eva cortara-se em cima do armário, o Natal era uma marca registada, os cientistas eram eleitos, os médicos ouviam rádio, os cubos rebolavam, as doutrinas eram contagiosas, os telefones nadavam nas piscinas cobertas, etc...
Mas estava tudo bem,... Havia muito dinheiro!

Pierrot le fou

11.11.10

ASSALTO À SEGURANÇA SOCIAL?
Ficção de Pierrot le fou


O edifício da Segurança Social encontrava-se cercado pelas forças de policia, as cameras dos canais televisivos amontoavam-se, quase que se encaixavam umas nas outras, os repórteres escreviam nos blocos e ajeitavam os seus penteados, preparando-se para os directos. Uma multidão rodeava a zona de acção.
O que estaria a acontecer? Seria uma cimeira sarkozysta, para o fim dos direitos sociais em Portugal? Um congresso de especuladores, patrocinado pelo BPN, pela PT ou por uma qualquer entidade oculta acabada em "berg" para conversão de dívidas privadas em dívida pública? Uma manifestação de grandes empresários a pedir mais justiça para as suas acções, maltratadas pelas pensões dos velhinhos que já não têm saúde para trabalhar? Um concerto ao vivo com Angela Merkel and the Coconuts?
Na verdade, até ao momento, ninguém sabia o que se estava a passar. Porquê tanta gente?
Acabava de chegar um autocarro cheio de negociadores e alguns psicólogos criminais.
As pessoas estavam agitadas, o patrão do único café do bairro regalava-se, ao ver sair cafés, como pães quentes, pois nunca o negócio fora tão produtivo.
Um canal sensacionalista aproveitou o momento, para preparar uma edição especial sobre aquele homem, que diariamente não vendia mais que meia dúzia de bifanas, cerca de vinte cafés, cinco a seis bagaços, mais algumas minis, que ajudavam a matar a sede e a anestesiar o desespero dos seus humildes clientes, gente de duro trabalho, que ali convivia, para passar o tempo que sobrava das suas rotineiras dedicações laborais.
Na esperança de conseguir alguma informação, por parte do potencial informador, o repórter começa a conversar com o patrão do café, lançando exagerados elogios, que numa espécie de prosa misturada com passagens de Camões, lidas de trás para a frente, elevavam ao grau de palácio histórico, a espelunca repugnante, onde com receio de contrair uma doença não classificada até então, o jornalista fingia beber o Moscatel.
"Já viu? Aquilo ali está cheio de policias!... O que será?" Pergunta ele ao dono do café, que acabava de deixar cair a cinza do seu cigarro, na sandes de presunto, que acabava de preparar para um cliente.
- Claro! Responde o patrão. Já não é a primeira vez que ele faz isto! mas esta vez, vieram as televisões e sei lá mais o quê... Ele deve estar contente!
- Ele... Ele, quem?
- O doido!
- O Doido?
- Sim, ninguém sabe o nome dele. Por estas bandas, chamamos-lhe "o doido".
- Tem problemas psicológicos?
- Só pode!... Chega ali, faz uma série de reféns e ameaça fazer explodir as instalações lá da Segurança Social.
- Mas o que reivindica ele?
- Revind... quê?
- O que pretende o homem?... O doido!
- Depende.
- Depende? De quê?
- A última vez que se fechou lá dentro, fez explodir uma bomba artesanal e rebentou com o arquivo lá dos gajos. Ri-se e: Ah ah! Essa até foi boa!
- Houve feridos?
- Não! Ninguém se aleijou. O homem é doido mas não é mau... Quer um pouco de atenção e aproveita para exigir coisas.
- Coisas?
- Sim. Sei lá o que é que ele já exigiu!... Uma vez até pediu para acabarem com as reformas monstruosas, dos políticos que ainda estão a trabalhar. Coitadinho... É doente!
- Quer dizer que não faz aquelas coisas em seu nome...
- Claro que não! Quer dizer, aproveita para pedir umas coisas para ele mas... A confusão acaba sempre da mesma maneira.
- Entram por ali adentro, imobilizam-no e detém-no?
- Não! Ele acaba sempre por entregar-se.
- Assim, sem mais nem menos?
- Não. Depende do prato, às vezes demora um pouco mais. Sabe, é que, para além de doido, ele é pobre... É um homem cheio de problemas mentais e não o deixam trabalhar. Por causa disso, não tem dinheiro para comer e passa fome.
- Disse que dependia do prato...
- Sim homem! Ele vai fazendo lá as suas exigências, e depois dos... como é que lhes chamam?
- Os negociadores?
- Esses mesmos! Depois desses... Homens de negócios lá da polícia lhe prometerem que vão cumprir as suas exigências, ele faz o pedido, eles levam-no até ele, e já está!
- O pedido?
- Sim! O prato. Um prato de comida, uma refeição! Na última vez, pediu estupeta de atum...

Pierrot le fou

FUNCIONALISMO EUROPEU?


27.10.10

"ESBRUNGLE E O PC 186"
Blogonovela de Pierrot le fou


Levitava a mente do ser que se encontrava sentado no escritório da empresa que lhe fornecia o fraco salário mensal que lhe permitia pagar os impostos e outras contas da sobrevivência banal , quando a cafeteira eléctrica que o acompanhava na sua turbulenta rotina, sem aviso prévio, produz um ruído assustador, interrompendo a sua relaxante viagem no encosto laboral das suas quarenta horas semanais.
Como se o mundo fosse acabar, o escriturário levanta-se da sua íntima cadeira, amiga de longa data, cúmplice da sua energética actividade, da qual dependiam infinitos emails e PDFs e outros ficheiros que com grande esforço armazenava em pastas bem organizadas no disco do seu PC 186.
Esbrungle, sim, é um nome certamente estranho, mas este especialista nas várias formas de acomodação a cadeiras de escritório, para além da grande responsabilidade que o persegue no dia-a-dia, na sua profissão de alto risco, decidiu manter o nome que o seu pai Afrunzio e a sua mãe Esgorneta lhe ofereceram no dia do seu nascimento, chovia a potes lá na aldeia e o sino da igreja estava avariado.
Esbrungle é um homem resistente e lutador. Habituado a enfrentar todos os tipos de situações imagináveis num desktop.
Já tinha até este dia, substituído tinteiros da impressora, actualizado o antivírus, enfim, é um empregado sério, sem dúvidas, sem receios, mas...
A cafeteira avariou-se?
"Não sei reparar cafeteiras eléctricas". Diz ele em voz baixa, como que envergonhado, não querendo admitir aquela sua fraqueza, temendo que alguém o ouvisse.
Para além do mais, para atingir a velocidade de cruzeiro, Esbrungle precisava de cafeína, muita cafeína!
"Que dia! Como pode isto estar a acontecer-me? Assim, não consigo trabalhar!"
As coisas complicaram-se, as paredes do escritório pareciam estar a escurecer, as janelas, pareciam triangulares, o PC 186 parecia estar a rir-se, e no monitor, Esbrungle conseguia ler em maiúsculas "ÉS UM FALHADO! "
"Não sou nada!" Responde Esbrungle ao PC 186.
Como ousas tu insultar-me?
Sempre tratei de ti como se fosses um TOSHIBA Duo Core 2.6Ghz,... Como um MAC!
Furioso e ofendido com a atitude do PC 186, Esbrungle sai do escritório furioso, e dirige-se ao café mais próximo.

Como irá acabar esta novela?

A - Esbrungle toma o café, regressa ao escritório mais calmo, perdoa o PC 186 e continua a trabalhar.

B - Esbrungle sai e nunca mais volta.

C - O patrão de Esbrungle, no escritório ao lado, ouviu a discussão entre o homem e a máquina, e decide investir num PC mais actual, como prova de agradecimento ao seu dedicado empregado.

D - O PC 186, ao ver Esbrungle sair, ficou ali só, a chorar.

Pierrot le fou

O GRANDE CASINO €UROPEU

Justificação (explicação) das medidas de austeridade!

HÁ CRISE EM PORTUGAL?
TEMOS QUE IR À BOLA!


Em França, o Secretário Geral da CGT (Confédération Générale du Travail), Bernard Thibault, denunciou no jornal Libération, a presença de policias, no exercício das suas funções, disfarçados de manifestantes, com crachas sindicais, e a acção de manipuladores que incitam ao crime, nas manifestações contra o aumento da idade da reforma.
Os agentes da polícia francesa com crachas, foram "identificados" por membros do sindicato.

Ler notícia, aqui

CONTRASTE!

Em Portugal, Aníbal Cavaco Silva, anunciou a sua recandidatura à Presidência da República Portuguesa, o Benfica vai jogar com o Paços de Ferreira, o Rio Ave com o S.Braga, a Académica de Coimbra com o FC Porto e o Sporting irá a Leiria.
Os economistas falam de economia, PS e PSD continuam a brincar aos orçamentos.

26.10.10

A FORTUNA DUM SIMPLES TRABALHADOR
(escrita burlesca ou burla social?)


Imaginemos políticos a trabalhar arduamente, sacrificando os seus corpos, riquezas, reformas e outros rebuçados da existência, numa missão patriótica e humana, em nome do conforto e da estabilidade social do nosso país... STOP!

Vamos falar de coisas sérias!
A vida é bela, (como diz o outro) nós é que damos cabo dela...
Todos nós abusámos do dinheiro que falta nos cofres...

...Desculpem esta interrupção mas tive que tirar o meu Jaguar da garagem, pois estava mal estacionado e a minha mulher chegou das compras, no seu Audi.

Dizia eu, que isto assim não pode ser!
É claro que todos trabalhamos e recebemos muito mal, mas...
Andamos a comer todos os dias, temos direito a alugar casa, e ainda por cima, temos televisão!
É um abuso social! Um atentado às (con)sagradas linhas da Constituição da República Portuguesa, que em sintonia com os mandamentos da universal declaração, que promove os direitos do Homem (e de certos outros homens!), dita as regras para o bom comportamento cívico, em nome do respeito, da dignidade dos pobres capitalistas, que na sua consciência... Só um momento, volto já...

Eis-me de volta.

Perdoem-me novamente, mas desta vez, foi o meu filho que chegou de mais um dia de escola, no Maserati que lhe ofereci no dia do seu aniversário.

Bem, afinal, não posso continuar a conversa. Tenho que sair! Ligaram-me do aeroporto a dizer que o interior do meu falcon já foi remodelado e ainda por cima, tenho que ir comprar duas vivendas, para oferecer a dois meus desgraçados amigos, que não têm nada!
Um deles é ministro, o outro, administrador... Enfim, uns pobres coitados que como sempre, precisam do nosso dinheiro.

Pierrot le fou

ECONOMIA!

27.8.10

O SUCESSO DE BARBATÁCIO DOS AVIÕES



Barbatácio era um individuo humilde e trabalhador. Farto de transportar o lucro daqueles que o empregavam, decidiu um dia, demitir-se e dedicar-se aos seus projectos.
Foram muitos os anos em que trabalhou, para pagar rendas, contas mensais e regalias de poderes tecnocratas de seres que condicionavam o seu desenvolvimento e presença na sociedade.
Os jornais, a televisão, a Internet e outras ferramentas da existência banal, ajudaram-no a melhor interpretar os acontecimentos perturbadores, que violavam a privacidade e a harmonia da sua inteligência.
Sem familiares na política, no mundo empresarial ou no clã das instituições favorecidas, que espirram contrapartidas fiscais, Barbatácio decidiu aliar-se às novas tendências, apostando na reciclagem de materiais, usando uma nova técnica, que consistia na transformação nuclear, de todos os tipos de matérias imagináveis, através de um processo secreto, fechado num cofre, por aí, algures...
Passados uns anos, num restaurante em Boston, um homem dirige-se à mesa onde jantava e:

"Desculpe incomodar. Não é o senhor doutor Barbatácio?"
- Em pessoa, sem o "doutor". Responde
- Sabe, é um verdadeiro prazer conhecê-lo! Seja bem vindo à nossa família.
- Família? Que família?!
- Percebe o que quero dizer...
- Eu não percebo nada! Nem o conheço, por isso, não pode ser da minha família!
- Referia-me à família dos grandes empresários...
- Ah... Se vem falar comigo por causa do sucesso da expansão da minha empresa pelo mundo, não me interessa!
- Seja como for, dou-lhe os meus parabéns e desejo-lhe uma boa continuação. Já agora, posso fazer-lhe uma pergunta?
- Faça!
- Como é que conseguiu alcançar tal prestígio? Como é possível ter tantos empregados?
- É simples meu amigo. Pago bem todos os que trabalham para mim e... Chegue-se aqui.
O homem aproxima-se e:
- Os aviões que vendo...
- Sim?
- São feitos com filtros de café reciclados...
- Filtros de café recicl...
- Já agora, o senhor não se apresentou. Tenho o prazer de estar a falar com?
- Não sou conhecido.
- Mas diga, homem!
- Belmiro... Belmiro tout court...

O homem atrevido, foi andando para junto da sua garrafa de trezentos dólares americanos, que bebeu até ao fim, a pensar na inutilidade da sua frustrada ganância de cinco mil milhões de euros, humilhada por um tal Barbatácio dos aviões, que reciclava filtros de café...

Pierrot le fou

21.8.10

SUPERIOR A DEUS!
(à imagem do homem)



Andava o homem pela rua com passo de turista escaldado, quando ouve uma voz perguntar:
"Sabe quem sou eu?"
Vira-se e...
"Sim, é consigo!"
- Comigo? Pergunta o homem.
- Sim! Ouviu a pergunta. Sabe quem sou eu?
- Não, não o conheço.
- Eu sou mais importante que Deus!
- Ai sim? E o que faz o senhor?
- Ah ah ah. Eu? Eu não faço absolutamente nada.
- E porque se acha o senhor, superior a Deus?
- Eu sou o poder na Terra, todas as vidas dependem de mim.
- Que pretensioso!
- Não me faça rir! Pretencioso, eu?
- Sim sim! "Superior a Deus, todos dependem de si"...
- Sem mim, não há trabalho, as pessoas não têm esperança nem direitos.
- Já sei, é o dinheiro.
- Ah ah ah. O dinheiro também depende de mim.
- Já sei! É presidente dum clube de futebol.
- Não.
- Governador dum banco central.
- Meus subordinados
- Empresário...
- Meus discípulos
- Alto comissário da ONU, para a corrupção mundial.
- Ah ah, essa é boa!
- Sei lá... Presidente dos Estados Unidos?
- Chega! Em primeiro lugar, apresente-se o senhor, logo de seguida saberá quem sou.
- Com todo o prazer. O meu nome é Aldírio Antunes, sou engenheiro informático.
- Interessante... Tem vendido muito?
- Eu não vendo nada, sou programador.
- Mas essas coisas que programa são comercializadas... São?
- Claro que sim, exportamos para quase todo o mundo.
Bravo meu filho, continue assim e terá um dia, a recompensa merecida. Agora desculpe-me mas tenho que viajar para outro sítio.
- Mas...
- Quer saber quem sou? Pergunta ele, já longe do engenheiro curioso.
- Diga lá então.
- Sou o Mercado Internacional! Ah ah ah ah ah

Pierrot le fou

11.6.10

ACABAR COM A CRISE DO POVO
CRIAR RIQUEZA
ESTIMULAR A ECONOMIA
(divagação imperativa)


Ficam aqui algumas ideias positivas, para equilibrar as contas do país:

1- Os pais de alunos não gastam nem mais um cêntimo em escolas privadas,
2- O preço dos alimentos baixa 50%,
3- Os cidadãos só trabalharão em part-time, os salários aumentam 100%
4- Os deputados e ministros, passam a ganhar 50% dos actuais salários,
5- O Estado é obrigado a jogar 5000 euros semanais, no euromilhões, com uma chave que será sorteada anualmente, na Assembleia da República (uma semana depois de aprovação do Orçamento de Estado),
6- Os trabalhadores independentes passam a receber subsídio de férias e de Natal,
7- O IVA baixa de 21% para 2%,
8- Nas portagens, os utentes passam a receber oito cêntimos ao quilometro, pelo esforço dedicado ao trabalho, em nome da economia do país,
9- Acabam-se as reformas por tudo e por nada, para os mal habituados da política e outros oportunistas,
10- Para cada desempregado a mais, menos um euro por dia, para cada um dos sentados faladores da Assembleia da República.

Claro que faltam aqui muitas outras medidas de austeridade mas...
Grão a grão, enche a galinha o papo

Pierrot le fou

10.6.10

10 DE JUNHO 2010
VIVA PORTUGAL
VIVA A REPÚBLICA PORTUGUESA


Enfraquecida por sucessivos ataques da falsa união europeia com o seu odor de federação monetária mal intencionada e por outras organizações do dinheiro pelo mundo, a República Portuguesa possui na sua inconsciência, os sagrados valores da existência, que representam os seus humildes cidadãos, trabalhadores e aprendizes da evolução, dignos representantes dos valores sagrados da resistência humana estagnada pelos representantes dos cargos poderosos ascendentes, que rumam à decadência...

Parabéns aos "políticos" do dinheiro, que decidiram trocar Luís Vaz de Camões (o esquecido!), pela bíblia da injustiça social que representa o grande comércio europeu (pelo mundo),

Pierrot le fou

9.6.10

O CANDIDATO A PRESIDENTE
E O CAMPONÊS SÁBIO


Com sede de fama e poder, o homem torna-se candidato a presidente da câmara da cidade de Santa Paciência e, para ganhar a confiança e os votos dos habitantes do concelho, decide fazer-se à estrada para visitar os seus futuros apoiantes.
No primeiro dia da tournée promocional, o ansioso candidato vê um camponês e decide parar o seu jipe, para lhe dirigir alguns elogios.

- Bom dia.
- Bom dia. Responde o camponês.
- Que belo sítio este. Como chamam os senhores, este espaço tão calmo, tão harmonioso?
- O cantinho dos bons.
- Que lindo nome.
- Foi o Ti Zerúnfio.
- Quem?
- O Ti Zerúnfio. É um homem muito inteligente, sabe um pouco de tudo.
- Deve ter estudado muito...
- Nunca foi à escola.
- Como pode ele saber um pouco de tudo, se não estudou?
- Trabalha, lê, desenvolve ideias que lhe vêm à cabeça.
- Que tipo de ideias?
- Todas as que nos ajudem a viver melhor. Temos electricidade, água, cultivamos fruta e legumes. Não nos falta nada.
- E tecnologia?
- Tec... tec quê?
- Televisão...
- Ah a caixinha do povo? Não, não temos nada disso.
- Sem telev... caixinha do povo, não veêm informação em directo, não podem seguir as telenovelas, ver filmes,... nem futebol...
- E quem disse que queremos essas coisas por cá?
- Deduzi...
- Dedu quê?
- Pensei que estivessem interessados...
- Em telenovelas?
- A televisão não passa exclusivamente telenovelas...
- Claro que não, também promove aldrabões, egoístas, políticos e outros ladrões... Nem queira saber o tratamento que damos a esse tipo de pessoas, quando aparecem por cá. Já aconteceu e não foi bonito de se ver! Aqui, não aceitamos pessoas de má fé! No cantinho dos bons, só mesmo bons!
Já agora, o que faz o senhor na vida?
- Sou vendedor de televisores...

Com a forma mais elegante possível, o candidato a presidente, assustado, afasta-se, usando uma expressão corporal desconhecida, que misturava dança medieval, Tai Chi, Butô e exageradas vénias, que dirigia ao camponês, como numa sátira barroca, destinada ao seu praticante, que se torna vítima da estranha e atrevida modalidade.

Pierrot le fou

8.6.10

UNIÃO EUROPEIA
O JOGO VISÍVEL
(quantos mais pobres e desempregados, mais importantes e poderosos são os "senhores")




Cada dia que passa, a Comissão Europeia torna mais óbvia, a sua fixação monetária e pretensão federalista que pretende alcançar a perfeita instabilidade dos povos da Europa, através de tensões sociais, que promovem a desigualdade das classes.
A nova doença da economia atingiu os bancos, logo, há que penalizar as pessoas que trabalham, para preencher os cofres que reciclam a dependência ao crédito, preservando a integridade do "grande dinheiro".
De Maastricht a Frankfurt, podemos apreciar as lindas políticas ornamentadas, tecnocratas interesseiros, banhados a ouro, ouvir o eco nos bancos nacionais esvaziados, fotografar as soberanias enfraquecidas, que choram lágrimas de cobre que irão revestir as moedas de cêntimos...

Espreite e conclua por si:

Reformas estruturais da Segurança Social e do código laboral, AQUI
Aprovação prévia dos orçamentos nacionais, AQUI

7.6.10

BYE BYE VÍTOR CONSTÂNCIO! NÃO VOLTES!
(e deixa o dinheiro que deves aos portugueses)


Um dos melhores promotores de crises trocou de poleiro!
Farto do seu emprego, de comentador da crise em Portugal, este homem vai agora, comentar a crise de Portugal, lá fora.
Parabéns ao seu salário, reformas e outras injustiças, que o beneficiam monetariamente, graças ao sacrifício dos cidadãos que trabalham e produzem a riqueza de Portugal.

Pierrot le fou

3.6.10

27.5.10

ASNISMO! (o jogo actual)



Gosta de joguinhos, adora ganhar?
Sonha com a vitória da selecção portuguesa de futebol, no mundial 2010?...
É viciado em competição, em busca do melhor dos melhores, já que não o encontra na sua pessoa?
Gosta de campeões de salto, corrida, socos e bofetadas e outras modalidades do dinheiro reservado?
Se sim, considere-se mais um cidadão banal, que gasta oitenta por cento do seu tempo à espera de resultados que dependem dos outros e os vinte por cento que sobram, a comentar os jogos de futebol e a repetir frases feitas, bem fresquinhas, que ouviu ou leu por aí (no sofá).
Sinta-se feliz, chegou a sua vez! Pois, já está a participar no maior jogo do planeta Terra, que se globalizou, por um lado, graças ao seu trabalho, por outro à sua enérgica dedicação, à contemplação da nova tendência hipnotizadora, que representa a economia dos comodistas ignorantes, com os cargos que já conhecemos...
Respeita assim, as duas principais regras do jogo, e habilita-se ao primeiro prémio, que a União Mundial de Negócios promove, no seu novo concurso com o nome: "Work, Shut Up And Die!" (trabalha, cala-te e morre).
O júri é constituído por impotentes sexuais, frustrados sociais ou outros heróis desmantelados, rigorosamente seleccionados:

1 - Ministros e amigos
2 - Administradores ou gestores
3 - Governadores de bancos
4 - Economistas
5 - Grandes empresários

Os participantes receberão ao alcançar a idade da reforma, um par de orelhas de asno em papelão e uma caneca com a fotografia de um dos heróis do júri.

A todos os futuros asnos, já com orelhas, desejo um óptimo percurso e ainda mais ignorância.
E... continuem a praticar Asnismo!

Pierrot le fou

24.5.10

PORTUGAL E A MOEDA COMUM EM 2010
(o poder do cêntimo)


A União de Negócios Europeus, vulgarmente conhecida por União Europeia, está com problemas de moeda!
Sim, aquela coisa que o povinho nunca teve, não tem e pelo andar da carroça, irá ver passear por aí, como um cãozinho treinado pelos poderes ocultos dos interesses mundiais e seus discípulos nos governos (sim, aqueles que mostram a cara mas não as intenções), que nos deixam fazer umas festinhas ao de leve, por tempo determinado pelas leis da moda económico-partidária.
Não fossemos nós desenvolver pelo canídeo, alguma espécie de amor não referenciado nos glossários da medicina industrial, que seus embaixadores da legislação a martelo, pelas assembleias nacionais, não conseguissem enfrentar, com os químicos que impõem à população adormecida pela informação televisiva nos seus telejornais circenses aliados, no sistema do "passa para cá o dinheiro dos outros e ainda levas algum para ti".
Os economistas, falam na desvalorização da moeda comum...
Moeda comum? Em Portugal, a moeda mais comum tem nome! Chama-se moeda de um cêntimo!
A peça em si, simboliza o poder económico do cidadão português, a liberdade para o investimento, visão para o negócio, aplicações no capital estrangeiro...
Temos aqui mais um sintoma da inevitável doença europeia, que os negociantes da lei nos informam com o orgulho de um hamburger e a inteligência de um pneu, como quem diz:

"ó malta, somos uns grandes bróculos! Rebentámos com o país, agora lixem-se vocês, porque nós já temos bons salários e "reformas" (no plural!) garantidas".

Afirma-se assim, a vontade de regular uma peça de transacção, insistindo na desvalorização dos reais e legítimos produtores e proprietários das riquezas materiais, "as pessoas que não têm poder algum e que pagam para os outros brincarem aos pais e às mães que foram às compras com a moeda de cêntimo que desviaram da carteira que estava mais à mão".

Parabéns aos senhores progenitores da decadência política, vendedores de soberanias e outros accionistas das civilizações mercantilistas sensíveis à evolução humana,

Pierrot le fou

7.5.10

PARE, ESCUTE E OUÇA COM ATENÇÃO!
(video)


Só pensa em dinheiro?
Clique aqui "e sinta o coração" (Música dos britânicos, Massive Attack, 1998, com a voz de Elizabeth Fraser, dos Cocteau Twins)

10 MANDAMENTOS PARA O CAPITAL REFUNDIDO
(POVO ≠ ECONOMIA)



ESQUECE A TUA VIDA E OS TEUS DIREITOS.
SACRIFICA OS TEUS FAMILIARES E AMIGOS.
JUNTA-TE A NÓS NESTA CAUSA MONETÁRIA!
PODERÁS SER O “EMPREGADO DO ANO”.
PARA ISSO, DEVERÁS OBEDECER AOS 10 MANDAMENTOS,
QUE DEFENDEM OS NOSSOS INTERESSES;

- Mandamento 1º. Não amarás a tua família!
- Mandamento 2º. Insistimos, para que ignores os teus filhos!
- Mandamento 3º. Trabalharás sem dormir, em nome do capital económico invisível!
- Mandamento 4º. Comerás os restos das crises económicas, por nós promovidas!
- Mandamento 5º. Roubarás e tudo nos entregarás!
- Mandamento 6º. Serás nosso defensor, frente aos teus iguais!
- Mandamento 7º. Denunciarás os fracos que não produzem!
- Mandamento 8º. Agradecerás diariamente, a liberdade que te proporcionamos!
- Mandamento 9º. Obedecerás a qualquer superior económico!
- Mandamento 10º. Não usarás a tua consciência!

Pierrot le fou

30.4.10

Em 2009, cada português já devia mais de 2 mil contos à UE!...
O que é que andámos a comprar???


Estamos em 2010... Alguém sabe "fazer a conta", de forma a sabermos quanto devemos neste momento?
Mais de 6 milhões de portugueses vêem-se obrigados a entregar os Ferrari (e Jaguar), acabaram-se os dias no casino, a apostar centenas de €uros! Os seis milhões de contribuintes terão também, que prescindir das habituais 10 caixas de Moët & Chandon, que semanalmente iam comprar a Epernay, deslocando-se no TGV ou de Airbus A380 (descolagem no famoso aeroporto "Jamais").
Acabou-se! A partir de hoje, "não há pão para malucos!" (só dinheiro, regalias e prestígio, para a classe política)

Orçamento de Estado para 2010 e PEC...
Conhece os Artigos 101º, 102º,103º,104º, 105º e 106º, da Constituição da República Portuguesa?
Espreite aqui
Segurança Social... E o Artigo 63º?
Espreite aqui

27.4.10

PEC, IRS e FUTEBOL!


Diz-se por aí, que muitos dos nossos cidadãos ficam com pouco mais de vinte euros, a meio do mês, depois de pagarem as obrigações que impomos, no nosso programa legislativo...
- Com vinte euros para o resto do mês, ainda se queixam?!
- Ajuda-me! É urgente! Temos que encontrar uma forma para lhes retirar esse excesso monetário!
- Mas... as pessoas estão desesperadas, se lhes tiramos os vinte euros, já nem vão ver futebol e ainda começam a perceber a nossa jogada...
- Para os joguinhos de futebol, eles arranjam sempre dinheiro! Não te preocupes com isso. E a jogada não é de nossa autoria... Por toda a Europa, os nossos homólogos fazem o mesmo!
- Mas meu Primeiro... nós já aumentámos o IRS, os salários estão no congelador... Acha que não chega para assustar os nossos contribuntes pagadores?
- Claro que não, meu caro "ministro do dinheiro dos outros". O povo tem que se sentir vulnerável e culpado pela dívida externa e interna, que nós próprios causámos! (ri-se)
- Que mais podemos inventar, sem ter que enfrentar a perturbação?
- Perturbação?
- Sim... a oposição!
- Ah esses... Se for como para o OE e para o PEC...
- É verdade, meu Primeiro! He he...
- Vá trabalhando neste meu novo projecto, preciso de sair. Tenho uma reunião na Federação Internacional Para o Desenvolvimento do Capital Aglomerado e Instabilidade do Povo. Vamos rever umas coisinhas, para o próximo campeonato de futebol. Nada como direccionar a energia dos cidadãos para conflitos bairristas! Ah ah ah ah...

Pierrot le fou

25.4.10

DINHEIRO? E AS PESSOAS?
(uns em cima, outros em baixo!)

Na imagem abaixo, poderá situar-se num dos patamares, impostos pela União Europeia neoliberal (siga as setas e... cuidado com os complexos).

21.4.10

25 DE ABRIL DE 1974, A LIBERDADE
"AQUI POSTO DE COMANDO DO MOVIMENTO DAS FORÇAS ARMADAS..."


A REVOLUÇÃO MAIS BONITA, NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE!

"Aqui Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas. As Forças Armadas Portuguesas apelam para todos os habitantes da cidade de Lisboa no sentido de recolherem a suas casas nas quais se devem conservar com a máxima calma. Esperamos sinceramente que a gravidade da hora que vivemos não seja tristemente assinalada por qualquer acidente pessoal para o que apelamos para o bom senso dos comandos das forças militarizadas no sentido de serem evitados quaisquer confrontos com as Forças Armadas. Tal confronto, além de desnecessário, só poderia conduzir a sérios prejuízos individuais que enlutariam e criariam divisões entre os portugueses, o que há que evitar a todo o custo.
Não obstante a expressa preocupação de não fazer correr a mínima gota de sangue de qualquer português, apelamos para o espírito cívico e profissional da classe médica esperando a sua acorrência aos hospitais, a fim de prestar a sua eventual colaboração que se deseja, sinceramente, desnecessária."

EARTH HOUR 2010
LUZES APAGADAS
(já foi...)

Baixar o consumo de electrcidade...
Mudámos para lâmpadas económicas e passámos a pagar ainda mais!
CONTRIBUINTE = Cliente-pagador (calado)
GOVERNO = Administrador da empresa (Estado) que cobra ao contribuinte-cliente pagador
UNIÃO EUROPEIA = Direcção da multinacional (conjunto de governos e grandes empresas associadas), que cobra aos clientes-pagadores (calados)
Divirta-se com o video e com a música dos Coldplay (devem ter gravado à luz das velas...)
Se procuram resultados, desliguem a electrecidade durante 30 dias!
30 dias sem posts nos blogs,... porque não?

EARTH HOUR, aqui

26.3.10

PODER ECONÓMICO
DEFINIÇÃO DAS POSIÇÕES...


Governo rima com congelar salários e aumentar despesas e obrigações dos cidadãos...
Já que o povo depende de temperaturas económicas, torna-se imperativo, fritar salários excessivos, que os bandalhos imcompetentes, que investem no estrangeiro, mastigam descaradamente, em frente ao pobre que nem um pão pode comer!

Administrador: membro da grande família de carcaças com pernas, individuo que tenta agitar o seu meio neurónio, para melhor pensar no dinheiro dos outros.

Governante (ou ministro): membro da família de sentados reciclados pela universidade mais próxima do balcão de compra de diplomas para a incompetência afirmada.

Cidadão comum: ser vivo, que trabalha e que, com o seu dinheiro e neurónios, contribui para alimentar aministradores e ministros.

Pierrot le fou

4.3.10

UNIÃO EUROPEIA EM FESTA!
(o povo sofre, há que festejar!)


A Grécia baixou os salários e aumentou os impostos, o Durão Barroso está satisfeito!
Aliás, os decisores sentados da União Europeia estão muito contentes!
Aumentar o tempo de trabalho, exigir mais produtividade e diminuir os rendimentos dos cidadãos, é prioridade mais que afirmada, na cooperativa dos países (des)menbr(os)(ados), que consentem por representação dos inúteis que elegeram, o progresso da injustiça social.
Produzir para vender, vender para movimentar dinheiro daqui para ali, e dali para além...
As tempestades ainda não atingiram os associados do poder económico!
Os bancos nacionais e bolsas pelo mundo estão à superfície, está tudo na perfeição, para políticos e políticas aplicáveis (...)!
Enquanto as vítimas do tempo, do dinheiro, de políticas derivadas do dinheiro, de tecnocratas vaidosos e de outros tubérculos, continuarem a viver para trabalhar e não a trabalhar para viver (ver L'Avare de Molière; "Il faut manger pour vivre et non vivre pour manger"), a União Europeia continuará a marcar presença, no festival mundial dos AQPMIIEOOCE (Altos Qualificados, Para a Manutenção da Incerteza e Instabilidade dos Empregados Obedientes e Outros Calados da Europa).

O facto do actual presidente da Comissão Europeia (duro a sério, cuidado com este homem, já foi Primeiro-Ministro de Portugal durante um quarto de hora!... o tempo de fazer uma parceria com o Bush e...) não poder festejar de forma efusiva, as consequências das medidas severas, que a Grécia aplicou, levou-me, num gesto de solidariedade para com o pobre presidente, a criar a imagem acima.

P.S.: (salvo seja) A economia é uma coisa séria, este post não pretende ofender o dinheiro, nem aqueles que sofrem de doenças resultantes de exagero de manuseamento ou posse excessiva, da matéria em questão, sem esquecer aqueles que o aprovisionam, em nome do bem estar do capital, em reservatórios de dimensões proporcionais ao seu egoísmo, incompetência e outros degenerativos na moda.

Saudações à Dra Incompetência Humana e seus representantes, na política,

Pierrot le fou

28.2.10

Previsões para a Ilha da Madeira, em 2008...

O provisório mansinho por conveniência, incoformado com a sua estupidez e imcompetência flagrantes, ainda duvida dos teóricos?

21.2.10

MADEIRA, A INJUSTIÇA DO(S) TEMPO(S)

Injustiça social + incompetência dos governantes + fenómenos da Natureza = ?
Um Abraço aos nossos irmãos da Ilha da Madeira
Mais aqui e aqui

17.2.10

DUAS PRIORIDADES PARA PORTUGAL!


Preservar os burros "Equus asinus", o animal!

Acabar com os manhosos dos lobbys poderosos (eleitos por sufrágio...) que usam e abusam da República e dos seus cidadãos, com a única intenção de dar o salto para a Europa ou para as grandes empresas ou instituições, pelo mundo!

Enganar o povo e os burros, é prática que os espertos eleitos ou nomeados, já nos deram a conhecer há muito tempo. Não devemos por isso consentir a usurpação de nenhuma das duas "categorias" (nem o povo é burro, nem os burros são governadores de bancos...).

Pierrot le fou

Burros, links: 1, 2, 3
Manhosos e usurpadores da República: (basta ligar a televisão)

12.2.10

FACE OCULTA E PROVIDÊNCIA CAUTELAR À LIBERDADE!
(censura prévia?)
FELIZ CARNAVAL A TODOS


Ao abusar da "liberdade" em Portugal, quem violou mais os direitos dos cidadãos?
Jornais?
Governos?
Quem merece uma providência cautelar, por violação dos direitos dos cidadãos?
Jornais?
Governos?
Quem mentiu mais ao povo português?
Jornais?
Governos?

O que será mais grave?
Desobedecer a uma providência cautelar? (desobediência civil)

Violar a Constituição da República e ignorar os direitos dos cidadãos? (Constituição da República, ver aqui)

Jornal Sol e providência cautelar..., ver aqui

31.1.10

O SONHO INCOMPLETO já tem "um" final!
(continue a participar)

Convido os leitores do blog a finalizarem "O Sonho Incompleto"
Será publicado, junto do post original.
Não se esqueça de assinar o texto, se tiver um site ou blog, deixe o seu endereço URL.
Obrigado e boa imaginação...

Teve um sonho, tudo parecia sereno. As pessoas do guião nocturno que o seu inconsciente traçou, não tinham rosto, eram vultos errantes, que levitavam pelo espaço que a sua imaginação desenhara.
Viu paisagens sem horizonte, combinações de cores, num cenário nunca visto até então.
Por ele, passaram emoções exageradas, de prazer, curiosidade e interrogação, andou por estranhos caminhos, sem destino previsível.
Deslocou-se incansavelmente, pelo espantoso universo, de infinitas nuances benéficas para interpretação, conduzida pela sua impotência física, já que adormecida.
Cada sítio era diferente de outro já visitado, parecendo mesmo assim, dar continuação a outros planos já descobertos, na sua espantosa viagem.
Um ruído exterior perturba a dimensão em que se encontra, um som demasiado real, que relembra o lado banal já por ele conhecido. O repúdio pela simétrica e banal moral dos acordados, impede-o de regressar mas resiste à rotina das obrigações e... (ofereça um fim)

Pierrot le fou

(1ª participação)
Em pleno sonho, despertei bruscamente. Contrariada verifiquei que o meu sonho não tinha acabado e que era preciso adormecer de imediato, para continuar o sonho e tentar desenvencilhar o emaranhado de dados. Adormeci de novo. Ia de moto, a paisagem desfilava a tal velocidade que nada tinha forma perceptível. Percebi então que não se tratava de nenhuma moto mas sim dum avião supersónico. Não admirava pois que não reconhecesse formas e paisagem. Era apenas ar o que me rodeava. Tinha enfim compreendido, quando olho com espanto peixes voadores que me acompanhavam o voo. Gritei: como te chamas? e uma resposta com sonoridade aquática chegou-me aos ouvidos: exocet! somos os exocet!
Nisto surpreendo-me com a pergunta que faço ao peixe voador que me ficava mais próximo: por acaso sabem onde posso arranjar um pargo? Fiquei de levar um para o almoço, mas daqui não vejo nenhum. Resposta imediata do exocet: Agora nesta zona não há pargos, foram todos apanhados pelos arrastões. Senti um terror súbito, uma rede imensa acabava de envolver-me e ao meu avião. Esbracejava aflita, soltem-me, soltem-me, não sou nenhum pargo! não sou nenhum pargo! A minha voz saia-me nítida e potente. Tão alto gritava que a minha voz me despertou. Afinal quem me agarrava era o meu marido, que tentava acordar-me do pesadelo. Olhava-me com espanto. Exclamou, olha, termos peixe cozido para o almoço fez-te esse efeito todo? Mas enganaste-te com o peixe em questão, foram bicas que comprámos ontem para o almoço de hoje. Aparentemente não fizeste bem a digestão do que ainda nem comeste!
Mas nada disto era verdade, na realidade eu continuava a sonhar, tinha adormecido na praia por baixo do chapéu de sol.
Quando enfim despertei à minha volta as pessoas riam à gargalhada. Algumas frases dr protesto no sonho,tinham sido dias em voz forte e de repente ouvi uma voz que parecia eco do meu sonho: não sou um pargo, não sou um pargo....
e fiquei de olhar perdido, longe sobre o mar...


Marília Gonçalves

30.1.10

O ANO JUDICIAL COMEÇOU...
(a brincadeira continua)


A imagem acima inspira-o?
Diga de sua justiça.

29.1.10

O PESO DA PLUMA



Custa-lhe admitir tal postura, ser indeciso e parecer consentir tudo o que, aparentemente não o faz reagir.
O pudor que a sua fraca afirmação pessoal revela, não oculta os receios que a sua pessoa alimenta.
Tem o dom e a necessidade de escrever e construir, através das suas próprias linhas mas...
Mas a dificuldade está na resistência que encontra, é uma força que não vê mas sente o seu peso. Quando pega na pluma, começa a escrever. Para trás, deixa infinitos grupos de letras, organizados, dos quais se orgulha, a mão ganha velocidade e...
Sem saber porquê, pára!
Todos os dias são dias de recomeçar tudo. Acordar e logo de seguida tentar transformar em textos, as ideias e o bom senso, aglomerados, no passado próximo.

A sabedoria não existe, é variável e incompleta, as pessoas aprendem para recitar o livro, o parágrafo ou um simples texto, provavelmente, com a intenção de partilhar a informação que mais lhes parece correcta e aplicável, no contexto humano das associações representativas, daqueles que procuram o conhecimento...
Ao fim de tantos anos a desenvolver a suas composições livres, o escritor aperfeiçoou a sua forma, perdendo de vista, a perturbadora hesitação, que até então, achava ser uma dúvida pessoal, um lado fraco da sua vulnerável presença.

O escritor parou. Parou para reflectir, porque depois de tantas abordagens, sentiu o poder da sua escrita e a provável receptividade dos outros. Descobriu a força das palavras, que dirigira a tantos receptores.
Sentindo como um chamamento das páginas vazias, por preencher, o escritor teimoso não se cansa de tentar começar algo novo, longe de tudo o que habitualmente desenvolvera, até hoje.
Tentativa após tentativa, sente cada vez mais, uma energia que se opõem à sua vontade. Acaba de descobrir o peso da pluma.
Considerando-o um dever inquestionável da comunicação, não desiste e continua a escrever, para si... e para os outros.

Pierrot le fou

26.1.10

O HOMEM VOADOR



Pairava o homem por cima da Assembleia da República, quando um jovem que por ali passava, diz ao amigo:
- Estás a ver? Aquele é que é o Zé voador. Lá está ele, mais uma vez a importunar os ministros e deputados.
- Coitado!
- Coitado?
- Sim, tem o dom de voar e perde o seu tempo a voar por cima dum sítio tão triste e com tão pouca esperança.... Poderia por exemplo, andar por aí a ensinar os outros a desfrutar de tal liberdade.
- Bem visto! Se ele nos ensinasse a voar, poderíamos viajar pelo mundo e descobrir infinitas coisas interessantes.
- Iríamos à Ásia...
- Aos Estados Unidos
- África!
- Seriamos como passarinhos à solta...
- Se calhar, o homem já fez essas viagens todas.
- Achas? E viria fixar-se na Assembleia da República?
- Pois, deve haver uma razão...
- Porque não lhe perguntamos?
- É isso, pergunta tu.

O rapaz aproxima-se do homem voador e:
- O que faz o senhor aí em cima? Há tantos espaços interessantes para descobrir...
- Já os descobri todos. Diz o homem voador.
- Fartou-se de coisas boas?
- Não jovem, sabes, estou de férias.
- De férias?
- Sim, quando tiramos férias, precisamos de repouso e de prazer!
- Por cima da Assembleia da República? Não será pelo contrário, um pouco triste e cansativo?
- Não jovem, a vida não é só divertimento, por vezes temos que activar o nosso sentido de piedade e condescendência. Ao planar por aqui, vejo a capacidade da fraqueza humana, sob outro ângulo... Estas são as minhas férias!

Os dois jovens, embora conscientes das suas limitações, olharam um para o outro e afastaram-se, alegremente, simulando com os braços, o bater de asas.

Pierrot le fou

23.1.10

100 ANOS DE DJANGO REINHARDT

Django Reinhardt, um dos maiores guitarristas de sempre (para sempre).


Mais, aqui, aqui e aqui

2.1.10