30.1.09

O HOMEM QUE NÃO SABIA
(Conto original, rotlefou.blogspot.com)


Numa manhã, um jovem dirigia-se à escola, quando num largo, ouve um homem sentado na calçada, dizer repetidas vezes:
"eu não sei, eu não sei,..."
O jovem prossegue a sua marcha, quando ouve:
"E tu, sabes?"
Pára, vira-se e:
"É comigo?" Pergunta o jovem.
"Sim, vês mais alguém?!" diz o homem.
-Eu não...
- Então porque não respondes logo?
- Qual era a pergunta?
- Perguntei-te se sabias.
- Se sabia?.... Se sabia o quê?
- Lá está! Isto é que é a juventude de hoje! Andam por aí todos pimpões com a tecnologia no bolso, trocam a chupeta pelo cigarro, Camões, para vocês é um primo afastado do Magalhães e os mais velhos são todos uns burros ultrapassados, mal vestidos, que não conhecem nada da industria musical que os pirralhos das modernices, mastigam com hamburgers cozinhados no capitalismo globalizado à força, pelos imperialistas do dinheiro.
- Isso é uma pergunta?
- Ainda por cima arrogantes!
- Quem eu?
- Não, o Descartes!
- Quem?
- Sabes jovem, vou dizer-te uma coisa, coisa esta, que nunca deverás esquecer
- Diga então, senhor,... senhor...
- Podes chamar-me Homem Sentado
- Homem sentado... É o seu nome?...
- Não, não vês que estou sentado?
- S... sim.
- Dizia eu que... o que estava eu a dizer?
- O senhor Sentado falava de... de cartas?
- Não,... ah, já sei, sabes, a grandeza do homem, não se define pela sua postura na sociedade... para melhor perceberes, imagina o teu pai... O que faz o teu pai?
- O meu pai? É engenheiro electrotécnico.
- Boa, aqui está um bom exemplo. O teu pai, todos os dias depois de acordar, toma um duche e barbeia-se.... e barbeia-se!
- Hã... ah, sim, sim
- Sabes por que raio faz ele isso todos os dias?
- Para não ter barba?...sei lá!
- É como tu dizes, para não ter barba ou por questões de higiene mas antes de tudo, fá-lo porque a concorrência é vasta e um pelo a mais no rosto, é critério sólido para o despedimento, se nos interesses daqueles que o rodeiam, alguém decidir tratar-lhe da saúde, seja por que razão for... Quer isto dizer que, o teu pai pode ter uma posição digna e estável mas a qualquer momento, pode passar a inscrito... Percebeste?
- Inscrito?
- No desemprego.
- O que tem isto tudo a ver com grandeza?
- Também tu,... se jogasses menos Playstation e lesses um pouco mais!... Estou aqui sentado, farto de falar do teu progenitor...
- Pro... quê?
- Se fosse teu professor,....
- Seria avaliado?
- Bem! Vamos lá ver se não nos desviamos do assunto principal...
- Qual assunto principal?
- Olha-me para este jovem de crânio desidratado...
- Eu?
- Não o...
- Sim, já sei! o das cartas.
- Descartes... Descartes! Já alguma vez estudaste filosofia ou matemática?
- Já!
- Quantas vezes, quando?
- Sempre que não encontro um homem sentado no meio dum largo, a atrasar-me no meu percurso para a escola... já vou ouvi-las!!
- Espera!... Tu estavas a caminho da escola?
- Pois.
- Em que ano estudas tu, jovem?
- No oitavo.
- O que queres ser quando fores grande?
- Olha olha, já pareces mas é a minha tia!
- Vamos lá manter o nível de comunicação! E o respeito?...
- Olhe gostaria muito de continuar no interrogatório mas tenho uma aula que começa... há um quarto de hora atrás.
- "Jovem", diz o homem sentado ao rapaz que já se afastava.
- Diga lá rápido!
- Gostas de aprender?
- Sim homem sentado. E o senhor, gosta?
- Eu?... Não sei, não sei. Respondeu o homem vendo o jovem a desaparecer ao longe no largo.

O homem ficou ali sentado, calado, sem pessoas para abordar.

O homem sabe e fala,
Pergunta e afirma,
Os jovens vão sabendo e falando,
Questionam-se e vão aprendendo.

Na imagem que revela o homem,
O espírito jovem, por vezes cala-se.
O jovem quer falar como um homem...
Aprende, quem tem consciência da sua condição.

Terá o homem sentado, conhecimento disso?
E... terá o jovem, aprendido alguma coisa?

Pierrot le fou