10.11.09

PESSOAS E DITADURAS (...)
ANO 2009 ANTES DE...



Olhando para a esquerda e para a direita, constatamos ou interpretamos o grande desperdício energético, na valsa das consequências psico-interesseiras, que os grandes grupos de marca registada, alimentam e passeiam, pelos canais da "comunicação vaidosa personalizada".
O palhaço do circo escreve às escondidas e esconde as suas verdadeiras emoções, assim como o ilusionista intervem de forma aberta, frente à inutilidade do tão pouco utilizado cerebelo dos seus receptores, banalizado pelos especialistas da pseudo-cultura proveitosa, casada com a tecnologia, financiada pela reunião dos neo-intelectuais dissipados, em programações especializadas, dirigidas aos consumidores do nada.
Irmãos e primos hierárquicos da sociedade imposta, consomem a sua escassa intelectualidade, ao interpretar as consequências, na prática que resulta de preconceitos aliados ao egoísmo de seres incrustados nas "lustrosas" associações dos poderes.

A valsa, (o três por quatro) tem os seu andamento particular, a harmonia poderá limitar-se e depender da forma musical.
Toda a execução respeita os encandeamentos que o compositor pretende realçar...
O Muro de Berlim é exemplo de injustiça social e de opressão estrutural afirmada por poderes organizados, distantes das obrigações e prioridades humanas.

Se em Portugal a PIDE oprimiu, torturou e desprezou com orgulho, o seu próprio povo, a RDA (República Democrática Alemã) seguiu (ou imitou) o comportamento do "Velhinho Estado Novo" ao adoptar uma forma opressiva semelhante.
Surgem os chibos, a instabilidade do povo cresce, os valores confundem-se,... As associações são discriminadas... Só existe um poder!
"Venham mais cinco" (José Afonso) faz sentido em Portugal ou na Alemanha,... Fascismo é fascismo!
Se as doutrinas confundem o Volk (povo), os cidadãos pelo mundo, continuam a conviver com ódios e rancores, dirigidos ao passado, que temem no presente disfarçado, que não os ilude.

Passadas as velhas ditaduras, permanece a dificuldade em interpretar a presença inividual de cada membro da suspeita sociedade global. As pessoas continuam a ser pessoas, o dinheiro é base injusta e severa para a pirâmide social, fixada pelos transcritores do direito à existência etiquetada pelos supermercados das organizações adultas convenientes.

A liberdade dos povos depende dos sistemas considerados pelos mesmos.
Os poderes existem e resultam da vontade própria, de alimentar ou destruir os valores que rodeiam o indivíduo ou sistema "projector".

VIVA A LIBERDADE!

Pierrot le fou, 2009

7 comentários:

El Matador disse...

Viva .

Marília Gonçalves disse...

Www.wdl.org


Reúne mapas, textos, fotos, gravações e filmes de todos os tempos
e explica em sete idiomas as jóias e relíquias culturais de todas
as bibliotecas do planeta.

Anónimo disse...

o António Gonçalves fascista?

eu

Marília Gonçalves disse...

«No entanto, se era uma ditadura do proletariado,"não era tudo preto ou branco". Eu era feliz, e não quero esquecer esses 35 anos da minha vida».

Angela Merkel

http://cronicasdorochedo.blogspot.com/

Marília Gonçalves disse...

Numa cidade perto de Lisboa, onde mora minha mãe, conheci uma senhora, a vizinha do r/c que é jornalista.
Casada com um grande fotografo de Exposições internacionais, tiveram no tempo do fascismo que fugir de Portugal e encontraram asilo na RDA.
Por lá trabalharam e viveram como se de alemães se tratasse.
Até que um dia lhes nasceu um filho.
O bebé como todos os bebés do mundo o deveriam ser, foi recebido com o maior amor e carinho.
Passados dias a mãe foi para casa e tudo ia decorrendo naturalmente.
Acontece porém que a mãe do bebé tinha um espírito de trabalho muito agudo e uma necessidade imperiosa de voltar à vida activa.
Como continuava de baixa pelo nascimento do filho, começou a angustiar-se de estar fechada e decidiu recomeçar a trabalhar.
E aqui foi uma carga de trabalhos,embora tenha podido retomar a sua antiga profissão, era-lhe indispensável encontrar um jardim de infância ou equivalente onde pudesse deixar o bebé, condição indispensável para levar a cabo o seu desejo e projecto de retomar a vida activa.
O pior foi que na República Democrática Alemã tal caso não estava previsto!
pois é! as mães tinham conquistado o direito de permanecer em casa durante os três primeiros anos após o nascimento de uma criança por serem os três primeiros anos fundamentais para a formação afectiva e psíquica do pequenino ser.
Ora a senhora em questão, talvez por motivos que lhe são inerentes não suportava mais permanecer encerrada em casa. Mas nada! antes dos três anos de vida da criança não havia estruturas para receber criança nenhuma! A criança pequenina precisa do amor e do desvelo da mãe durante esse lapso de tempo e era assim que a sociedade da RDA estava estruturada.
Fora disso nada
a fazer.
Mas depois de muitas voltas, após o primeiro ano da criança conseguiu encontrar uma pessoa habilitada (era indispensável tal condição) e conseguiu colocar o filho entre boas mãos e retomar assim a vida activa!
Realmente podemos depreender que visto este caso, em Portugal não há ditadura. Não senhor! e direitos também não! Ao fim de quanto tempo tem a jovem mãe que abandonar seu filho sabe-se lá em que mãos, em que mal habilitadas amas,por ser obrigada a retomar o trabalho? e a que preço?
Quando se fala de ditadura e de Liberdade, seria útil que nos informássemos sobre duas questões fundamentais. Liberdade, sim! mas de quê e para fazer o quê? e ditadura que controla o quê? que impede o quê? para que ao menos nos batamos por causas justas e humanas! e não por liberdade de corrupção, velhacaria, estupro, pedofilia e as mais variadas formas de falta de respeito, tanto para com os pais a quem apesar de tudo devemos a vida, para com os velhos, escola de experiência,para com os Professores que nos passam Infatigáveis O SEU SABER! para com a Mulher desconhecida que passa na rua,e para com a luz inocente, ingénua das crianças! Liberdade sim, por um Mundo que sabe dominar seus maus impulsos, seus instintos de agressividade e violência e suas perigosas pulsões.
Sejamos livres sim! mas como cidadãos educados e conscientes dos nossos direitos mas também dos nossos deveres! Livres sim, mas sem macular ninguém, sem agressividade gratuita e conscientes dos nossos limites perante os direitos dos outros! dos Direitos de cada Cidadão
e que então do mais profundo da nossa consciência se solte enérgico o grito contra a tirania
de um magnífico VIVA A LIBERDADE


Marilia Gonçalves

Marília Gonçalves disse...

A vida é maravilhosa se não se tem medo dela.
Charles Chaplin (1889-1977

Marília Gonçalves disse...

A pátria é nos lugares onde a alma está acorrentada.
Voltaire





COMUNICADO URGENTE DE POETAS DEL MUNDO EN ESPAÑA SOBRE AMINETU HAIDAR
ESPAÑA-Toledo. Poetas del Mundo en España le rogamos a todos los poetas y a toda la gente de buena voluntad que hagan suyo el presente Comunicado y lo reenvíen por todos los medios a su alcance a sus contactos, blogs, Medios de Comunicación para defender la más justa y digna causa que debemos de asumir TODOS, cuantos apoyamos, sin reservas ni fisuras y con absoluta decisión,
LOS DERECHOS HUMANOS.


http://liberdadeecidadania.blogspot.com/