9.7.08

Governos baixam o IVA
Espanha 14%-20% Portugal

Espanha 16 para 14%, Portugal 21 para 20%...
Grande vitória de Portugal que derrota o país vizinho por 6 pontos percentuais, destabiliza governo espanhol, que com esta derrota não encontra pedra para por baixo se refundir.
Espanha envergonhada por perder na batalha de "Ganha quem conseguir em simultâneo, ser mais burro e conseguir gozar com o seu povinho, tirando o máximo de prazer, ao ignorar os sofrimentos e necessidades da plebe, oferecendo alegria ao potencial vencedor deste bárbaro mas já banal concurso de seres incapazes que se abrigam por trás de suas posições de serventes da política internacional.
Pessoas assim só merecem uma coisa,.....reformas congeladas, prisão, corredor da morte,....coisas boas e bem a seu nível.
Fracos politicos portugueses, é o que temos por cá, é o destino de quem não se preocupa suficientemente com assuntos que a todos dizem respeito.
Andamos distraidos ou a brincar aos adultos do "deixa andar"?
É complicado abordar assuntos que não nos dizem respeito, pois já que não somos politicos, passamos a batata quente para os incompetentes que a maioria dos que foram às urnas, elegeram num gesto de despachar mais um domingo.
Despachar é uma prioridade e destina-se aos impotentes da comunidade tecnocrata comodista que temos em Portugal.
Todos os dias surgem prioridades no nosso país, sendo tratadas com o habitual "delay", que por tradição cá na terra dos "encostados", dependem da matéria distractiva,que o governo em vigor não hesita explorar, de forma a dissipar as "porcarias" que os dirigentes por cá fazem já há muito tempo.
Será que um dia vamos ter um Estado inteligente que tomará decisões positivas e rentáveis para o país, sem criar vitimas sociais, usando políticas de manipulação, abuso e castigo dos seus cidadãos?
Para evoluir, o Estado português precisa de limpar muitas peças do seu mecanismo viciado que alguns pensam ser inalterável e impenetrável.
Será que isto vai mudar um dia, esperando que a União Europeia também pare de desviar as atenções das prioridades, disfarçando os seus actos materialistas e de agrupamento das grandes potências internas, com acções ambientalistas (as politicas para o ambiente distinguem Europa de Estados Unidos ou G8....? )que deveriam avançar em paralelo com as prioridades humanas e sociais.
Imagino um lema europeu para o ambiente: "Vamos todos parar de poluir e vamos tratar das plantas mas os trabalhadores não podem ter dignidade, conforto ou dinheiro que lhes permita comprar coisas boas para o futuro dos seus filhos... É uma ordem!!!"
Economistas para quê, para constatar? Isso, até uma criança de 5 anos sabe fazer.
Breve conclusão: Economistas e Politicos precisam de voltar para a escola ou desaparecer!

Pierrot le fou