25.6.08

CENTRO DE CIÊNCIA VIVA DE TAVIRA EXEMPLAR
IDEIAS ECONÓMICAS QUE RESPEITAM O AMBIENTE, PODEM "REFLECTIR" SISTEMAS DO FUTURO


Clique |aqui| para ver como coisas pequenas e simples se tornam exemplo daquilo que sendo hoje elementos de base pouco reconhecidos, passarão sem dúvida a ser soluções a adoptar e a desenvolver no futuro, para um ambiente mais saudável e inteligência económica proporcional nas grandes decisões dos países capitalistas do mundo.
Parabéns ao Centro de Ciência Viva de Tavira, parabéns às pessoas que desenvolvem este trabalho e a todos os que apoiam este projecto, onde o orçamento aplicado (se justo e suficiente) se justificará por defeito.

Mais uma notícia |aqui|

Pierrot le fou

ALLGARVE, ALGARVE DE TODAS AS AVES DE RAPINA

ALLGARVE sem o consentimento dos algarvios, que considero serem não só os nativos desta fruitiva e alimentícia região para aquele bicho de mil estômagos, por nós conhecido pelo nome de “Orçamento de Estado”, mas sim todos os que habitam e fazem viver esta linda parte de Portugal.
Allgarve implica não só uma alteração morfológica da palavra que adopta aqui uma posição de “espécie de adjectivo ilegal” ("nome-adjectivo" não é igual a "substantivo-adjectivo"!......qualidade da palavra....).
Estará esta alteração deliberada e de interesse reservado, incluída no prematuro léxico da nova inquisição cultural que nos impõe o tal acordo lusófono, supostamente tão benéfico para a manutenção da expressão e cultura portuguesa no mundo ou mesmo em PORTUGALL?
Certo mesmo, é que no “ALGARVE” (peço desculpa mas a tentação foi enorme e acabei por escrever ALGARVE só com um “L”, se calhar sou menos português por causa disso...), para o verão 2008, existe uma programação cultural idealizada e projectada fora da região, onde a sua preparação foi sem hesitação alguma elaborada por um colectivo de ratazanas (rattus norvegicus!) que formam o GOPDPLGPPCA (Grupo Operacional Para Distracção dos Provincianos, de Lucro Garantido Para o Poder Central e Amigos Interesseiros).
(É IMPORTANTE, TODOS NÓS GOSTAMOS DE VER UM BOM CONCERTO MAS...)
A cultura acontece mais uma vez sem consultar agentes, artistas, empresas, valores locais, profissionais do espectáculo, elementos de todas as áreas possíveis, no Algarve (mais uma vez com um "L", ups!...) para um perfeito desenrolar dum programa cultural que para seu enriquecimento e legitimidade, tudo ganharia num gesto natural de consideração por todos os habitantes dum “sítio” onde as pessoas já só sentem servir um Orçamento e lucros de caras desconhecidas, que ainda por cima aparecem com ar de “sabe-tudo”, aspecto este que nos leva a duvidar ainda mais da intenção inicial de todo o acontecimento que aqui cai de para-quedas, descaradamente e ao contrário de qualquer militar das forças armadas, onde bem sabemos haver um Juramento de Bandeira levado muito a sério.
O ALLGARVE vem servir os algarvios e os turistas, ou vem servir uma máquina lucrativa para uma pretensão governamental que despreza aquilo que deveria estimar e enriquecer no dia-a-dia?
É importante que em Portugal, a cultura tenha uma posição de afirmação e não de dependência estrutural, por isso impõe-se mesmo um novo olhar sobre a importância destes grandes orçamentos de lucro pré-destinado,que por aí passeiam com ar angélico e que só as pessoas mais informadas sabem ser qualquer coisa da família da farsa dos prepotentes e oportunistas.
Com ou sem orçamento do poder central, no Algarve continuará sempre a haver espectáculos, desporto e ciência,....os valores não se confundem no meio dessas reuniões nas catacumbas da realidade.
Pergunte-se a si mesmo: “Fui ver dez concertos, que bom...mas aonde estão os artistas da minha terra, terão lucrado alguma coisa,....e eu, e nós?” (isto tudo não passa de dinheiro....mas parece que tem que ser assim).

É verdade que precisamos de concertos no Algarve mas assim??


Pierrot le fou