12.6.08

PIERROT PUERIL?


Porquê mamã?... Porque é que....?

*Porque é que temos super letrados em Portugal?

Para se afirmarem numa comunidade restrita, somente capaz de constatar através de crítica televisiva no melhor dos casos?

*Que poder tem um cidadão para se interpor às más práticas da política em Portugal?
Uma cartinha para fazer rir um colectivo em Conselho de Ministros?

*Face a tantas directivas da UE, como saber distinguir conveniência ou submissão nas decisões lançadas pelos supostos responsáveis pela governação do nosso pais?
Seguindo os acontecimentos políticos ainda de mais perto, deixando os nossos trabalhos, prescindindo do nosso “ganha-pão”, para passar a assistir à telenovela do canal Parlamento nos dias úteis?

*Para que servem as greves, mesmo quando legais?
Para alguém poder divergir na projecção das estatísticas relativas à adesão dos interessados ou para alimentar a matéria manipulável para os media?

*Porque é que as pessoas do governo português falam sempre de modelos estrangeiros no momento em que se torna primordial, intervir na nossa realidade bem distinta?
Porque não têm capacidade alguma para criar modelos próprios, que para melhorar Portugal, poderiam fragilizar as suas actuais prestigiadas posições e reformas pessoais?
(logo continua)
Pierrot le fou

EURO 2OO8 - Derrota tradicional (tradição é tradição)

PERPÉTUO FUTEBOL EUROPEU
CAPITALISMO 1-0 POVO

O breve relato que poderão ler mais abaixo, nada tem a ver com a realidade.
As entidades aqui citadas não existem, são fruto da criatividade e imaginação dos leitores-interpretadores deste curto texto que não pretende chocar almas sensíveis à existência de pobres cidadãos do mundo.
(Aqui, a “bola” representa o €uro (a moeda) e a “baliza” o grande cofre do Banco Central Europeu)...

- “....O Estado portugês recebe a bola, passa a bola ao Banco de Portugal, o povo não consegue tocar na bola. O Banco e Portugal passa a bola ao Governo, o Governo passa a bola ao Banco de Portugal e o povo não consegue tocar na bola, o Banco de Portugal passa a bola aos Bancos em Portugal, os Bancos em Portugal passam a bola às grandes Empresas, o povo consegue tocar-lhe por por pouco tempo mas perde a bola.
As grandes Empresas passam a bola ao Offshore, Offshore passa a bola à grande Família de Banqueiros, grandes Empresários, e governantes disto e daquilo e amigos, rematam e.......Goooooooooooooooooooooolo!!! ......Golo, Golo, Golo!!!”

(Recomeça):

- “....O Estado portugês recebe a bola, passa a bola ao Banco de Portugal, o povo não consegue tocar na bola. O Banco e Portugal passa a bola ao Governo, o Governo passa a bola ao Banco de Portugal e o povo não consegue tocar na bola, o Banco de Portugal passa a bola aos Bancos em Portugal, os Bancos em Portugal passam a bola às grandes Empresas, o povo consegue tocar-lhe por por pouco tempo mas perde a bola.
As grandes Empresas passam a bola ao Offshore, Offshore passa a bola à grande Família de Banqueiros, grandes Empresários, e governantes disto e daquilo e amigos, rematam e.......Goooooooooooooooooooooolo!!! ......Golo, Golo, Golo!!!"

(e....):

- “....O Estado portugês recebe a bola, passa a bola ao Banco de Portugal, o povo não consegue tocar na bola. O Banco e Portugal passa a bola ao Governo, o Governo passa a bola ao Banco de Portugal e o povo não consegue tocar na bola, o Banco de Portugal passa a bola aos Bancos em Portugal, os Bancos em Portugal passam a bola às grandes Empresas, o povo consegue tocar-lhe por por pouco tempo mas perde a bola.
As grandes Empresas passam a bola ao Offshore, Offshore passa a bola à grande Família de Banqueiros, grandes Empresários, e governantes disto e daquilo e amigos, rematam e.......Goooooooooooooooooooooolo!!! ......Golo, Golo, Golo!!!"

(recicla...)

Pierrot le fou