15.2.08

FICÇÃO
GUIA PRÁTICO PARA AS ILEGALIDADES
(a história já começou há muito tempo…)

...Foi então que na sala de audiências quando lhe é dada a palavra, o ladrão de maçãs numa última tentativa se dirige ao Juiz e diz:
-“Mas os senhores têm que perceber que foi o desespero que me levou a roubar aquelas maçãs, pois estou desempregado e preciso mesmo de comer.”
As ementas, os artigos do CP parecem ter sido bem aplicadas ou terá este cidadão usufruído de uma eficiente “plaidoirie” por parte do seu advogado oficioso, certo mesmo é que na ementa do dia lhe foi servida uma pena suspensa por determinado tempo.
Que inocência, que ignorância, que inexperiência…
Este cidadão ainda não aprendeu a fórmula mágica e ainda por cima desconhece o guia prático “CCFUMEPCIVECF” (Como Cometer Falcatruas Usando os Mecanismos do Estado Português Com Ilibação Vitalícia Em Caso de Flagrante).
Aqui apresento um extracto do guia conseguido com grande dificuldade:

1º Passo: Candidate-se a uma Câmara Municipal.
2º Passo: (indespensável, os outros passos dependem deste segundo) Seja eleito presidente dessa mesma Câmara.
3º Passo: Cometa as ilegalidades que lhe passarem pela cabeça à descrição (use a imaginação) sem dar nas vistas de preferência (evita o 4º Passo).
4º Passo: Imigre para o Brasil (só em caso de suspeita, flagrante ou mesmo acusação já em curso).
5º Passo: Regresse a Portugal e volte a fazer os 1º, 2º e 3º Passos (só mesmo em caso de saudade do seu país ou ansiedade e necessidade de fazer mais falcatruas…ou ambas as coisas).
Siga estes passos do CCFUMEPCIVECF, a sua vida vai melhorar (poderá então roubar toneladas de maçãs).

…E tudo está normal, estamos em Portugal.

Pierrot le fou

Por falar em ladrões de maçãs, um conto para ler [aqui]

1 comentário:

Anónimo disse...

Ecos
de uma 3Câmara de Abril3 a Câmara Municipal de Palmela
exemplo de cidadania
A vida é relativamente mais barata que na maior parte das outras cidades de Portugal, os serviços públicos respeitam e são solidários tanto quanto possível dos cidadãos, ajudando-os vezes sem fim a encontrar saída para crises que possam surgir em suas vidas.
Uma Cidade que recebe e acolhe quem chega afavelmente, sem que tenha que ser turista estrangeiro
além de que o Município tem a seu favor as beleza naturais com a Arrábida ao fundo de um lado e do outro as azuis águas do Sado em Setúbal
gostaria que testemunhassem todos os que são tratados com respeito no Local onde moram e onde lhes decorre a existência

VV
verde e vermelha como a bandeira de Portugal e como a cor da Liberdade do Jorge de Sena