22.10.07

Breve passagem pela democracia

(Obrigado Houaiss)

Todos preparados para mais uma semana de trabalho?
Alegrem-se, os bancos estão abertos, o petróleo continua a regular as nossas vidas e os impostos continuam a aumentar.
É não só um prazer, é antes de tudo uma alegria poder contribuir afogadamente para esta causa constante denominada de Liberalismo Europeu.
Liberalismo porque estamos na era democrática....democrática?...
”Democracia: governo do povo; governo em que o povo exerce a soberania (primeiro significado entre outros, encontrado no Dicionário Houaiss, p. 1213).“ Esperem, eu falei em liberalismo?... Liberalismo: doutrina cujas origens remontam ao pensamento de Locke (1632-1704), baseada na defesa intransigente da liberdade individual, nos campos económico, político, religioso e intelectual, contra ingerências excessivas e atitudes coercitivas do poder central (primeiro significado entre outros, encontrado no dicionário Houaiss, p.2270).
Contra ingerências excessivas, e atitudes coercitivas do poder central!... Tem esta frase por um lado, um ar de poesia e por outro um género até formal, mas já que só de poesia nem o poeta sobrevive, e que de formalidades poucos querem saber, acabemos então por aqui, e deixemos um especial cumprimento ao sr. Doutor Petróleo, ao sr. Doutor Euro, e ao sr. Doutor Imposto, dedicando-lhes este grito de entusiasmo, incentivo e pressão, que a todos os que só de longe cumprimentam e convivem com a riqueza, é dirigido: "Trabalhai, trabalhai porque o vosso trabalho alimenta e enriquece ainda mais os oportunistas comodistas que não se revêm em vós e que vos ignoram..."

Pierrot le fou

4.10.07

I.I.S. Imposto para a Instabilidade Social



Diálogo entre o Estado e um Trabalhador Independente (um zé) .

E : "Então tu é que és o tal cidadão nacional que quer ser trabalhador independente ?
TI : - Sim Senhor Doutor Estado, preciso mesmo de trabalhar e como ninguém quer ouvir falar em contratos colectivos nem nessas coisas, pensei nesta hipótese de começar a ganhar algum o mais rapidamente possível visto que só se fala em desemprego e que as coisas por cá andam assim um pouco para o devagar sabe não é...
E : - Hum... sim sim força meu filho, vai de imediato dar início de actividade nas finanças da tua terra, e não te esqueças de informar a Segurança Social.
TI : - A Segurança Social é aquela instituição que me dá acesso à saúde e cobre todos os problemas que poderei vir a ter na vida enquanto trabalhador não é ?
E : - É isso mesmo, vai pagando e nós tratamos de ti, da tua vida e da tua saúde.

Passados uns anos.

TI : - Bom dia Senhor Doutor Estado, vim ao seu encontro para denunciar uma falha no sistema da Segurança Social.
E : - Diz lá então.
TI : - É simples, fiz tudo como o Senhor Doutor Estado me ordenou; nos primeiros anos era solteiro, não faltou serviço e pude pagar as contas sobrando assim alguns euros no fim do mês.
E : - E ?
TI : - Sabe como é a vida não é ? Conhecemos uma mulher, casamos e acabamos por ter filhos.
E : - E ?
TI : - um casal acaba sempre por ter projectos...um projecto...
E : - Uma casa...
TI : - Isso mesmo, uma casa com quartos para os nossos filhos. Até podem viver os dois no mesmo quarto...é verdade, esqueci-me de lhe dizer são dois filhos; uma menina e ...
E : - Sim sim, ias dizendo que tenho...hum hum, que a Segurança Social tem uma falha..hum...
TI : - Bem, na verdade o que se passa é que... sabe, nem sempre há trabalho, e ...
E : - Há sempre trabalho !
TI : - Depende da área em que se trabalha...
E : - Isso é psicológico !
TI : - Psicologia é medicina, e aí também existem falhas no sistema, por exemplo...
E : - Bom bom, vamos lá voltar ao assunto principal !
TI : - Estava eu a dizer que em certas áreas o trabalho não é tão constante que noutras, dou-lhe um exemplo; um padeiro produz pão todos ou quase todos os dias porque é um bem necessário, por isso tem sempre trabalho. Um professor por sua vez pode dar aulas todos os dias, não dependendo da sua vontade em trabalhar, mas sim da possibilidade em ser colocado para um só ano lectivo, reciclando assim este processo a cada nova temporada de ensino.
E : - Se é professor pode dar explicações ou desempenhar outras funções...
TI : - Mas se não conseguir nada, sempre é mais uma pessoa no desemprego que também tem umas falhas de sistema...
E : - Que pessimismo, só te ouço falar em falhas de sistema, e nada te vejo fazer para mudar seja o que for !
TI : - Eu falei em trabalhar, não evoquei nada que se assemelhe a protagonismo, fama, interesses e riqueza à conta daqueles que realmente a produzem. Nunca pretendi por isso, envolver-me na política. No fundo a política pouca coisa faz para mudar o que está mal em benefício dos mais necessitados...
E : - Pois, todos reclamam, protestam e contestam, mas quando se trata de agir, dissipam-se todos até ao próximo encontro na assembleia de café.
TI : - A sociologia também é uma vertente interessante, mas vamos voltar "AO ASSUNTO PRINCIPAL". A grande falha da Segurança Social que queria aqui denunciar tem a ver com : (clica aqui)

Pierrot le Fou

2.5.07

MÁFIA CONTEMPORÂNEA



A Máfia agora é outra, políticos, mega empresários e outras espécies, os lobbys prevalecem em todos os sectores...
Os jovens estão distraídos, os mais sábios desorganizados bem que associados ao que parece ser a única forma de expressão credível na dita democracia. Aderem aos partidos políticos, estruturas fixas com estatutos fixos, objectivos inflexíveis numa só ambição de exibir os seus feitos deixando rastos repletos de oportunismo e desleixo no que diz respeito ao compromisso de alta responsabilidade para com o seu dever cívico e humano.
Comprar casa, fazer projectos para o futuro, tentar melhorar as coisas no plano social e familiar são pequenas coisas que nada significam para estes grupos de interesses que criaram o jogo do "não podes viver bem porque a minha mãe não deixa e a mim até me dá prazer ver o mundo inteiro a sofrer e eu aqui cheio de facilidades e conforto" (que belo jogo !).
Foi certamente a trabalhar arduamente que esta minoria que detém o poder através do capital reservado conseguiu chegar ao status de "melhor e mais capacitado", e não por oportunidade, destina-se esta última aqueles que nunca possuiram bens materiais , nem tiveram acesso democrático ao ensino.

Pierrot le Fou